quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Campanha: Para onde irão os R$ 80 bi das Olimpíadas?


Participe agora!

Sexta-feira passada foi um dia histórico para o Brasil. As olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro representam uma oportunidade única para mostrar ao mundo nossa alegria, beleza e talento.

Mas as olimpíadas significam mais do que o prestígio internacional: mais de 88 bilhões serão investidos na nossa economia. É muito dinheiro e ele poderá ser usado para criar serviços públicos decentes, gerar empregos e ajudar a tirar crianças do tráfico de drogas. Mas enquanto o Brasil ainda festeja a vitória do Rio, políticos e empreiteiros já estão rateando os 88 bilhões que serão investidos.

Para o as Olimpíadas sejam realmente incríveis, temos que dizer NÃO para a corrupção. Se nós agirmos agora podemos passar a lei “Ficha Limpa” que irá banir políticos corruptos das eleições de 2010. Clique no link para apoiar esta campanha e mudar a política brasileira para sempre.

Com a descoberta do pré-sal, a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016 o Brasil está vivendo um momento de oportunidades sem precedentes – poderemos nos igualar às nações mais fortes e desenvolvidas do mundo. Poderemos erradicar a pobreza, ter uma economia forte e solucionar nossos problemas ambientais. Mas para isso precisamos primeiro garantir que as nossas grandes riquezas e os cofres públicos não sejão mais esvaziados por uma classe política criminosa.

A Campanha Ficha Limpa foi desenvolvida pelo Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral que apresentou ao Congresso semana passada um projeto de lei que vai banir políticos corruptos das próximas eleições.

Esta campanha é uma revolução na cultura política brasileira. Depois de décadas testemunhado indignados a roubalheira dos políticos no nosso país, nós brasileiros finalmente podemos fazer alguma coisa. Vamos tirar os corruptos das eleições de 2010 onde iremos escolher os “gestores” dos investimentos da Copa de 2014 e Olimpíadas de 2016.
Veja um resumo da Lei.

Passe adiante!
Essa é uma campanha liderada pela Avaaz.org

quinta-feira, 6 de março de 2008

Gente da PRT 163: Salame Gente Fina


Turistas e caminhoneiros que passam pela PRT163, logo após a Ponte Leonel Brizola entre Realeza e Capitão Leônidas Marques, vão encontrar vários estabelecimentos na beira da estrada. Hoje o meu alvo é o Salame Gente Fina – tradicional ponto de parada para muita gente que trafega pela rodovia estadual em transição. O ponto foi idealizado pelo catarinense de Concórdia, Alves Civa, conhecido somente por Gente Fina. “Este é uma apelido que carrego desde o tempo em que estava no Exército Brasileiro no Rio de Janeiro”, explica Gente Fina que há 30 anos está em Capitão Leônidas Marques.

A especialidade do Gente Fina é o salame. Uma vez ele bateu o recorde dele mesmo ao comprar de produtores da região 84 toneladas de carne suína para fazer lingüiça e salame. “Claro que disso aí para fazer lingüiça a gente usa 30%, faça as contas. Para cada 100 quilos de carne a gente usa 3o quilos para os embutidos”. Não é a toa que o Gente Fina está na lista dos atrativos turísticos de Capitão Leônidas Marques. É uma lista de estabelecimentos com vocação e preparo para participar do Programa do Turismo na Agricultura Familiar – TRAF.

Mas além dos embutidos como salame de lombinho, de copa, morcilha branca, costelinha, a produção familiar do Gente Fina inclui pães caseiros, baycon defumado, kits para feijoada, torresmo, banha e outros produtos. “Muita coisa a gente só faz para atender encomendas. Tem caminhoneiro do Mato Grosso, da Bahia que trazem pedidos de amigos que dizem, passa no Gente Fina e traz isso ou aquilo”.

Não faltam outros itens como feijão. Gente Fina lembra que Capitão Leônidas Marques já foi a capital paranaense do feijão e que já teve até a Festa do Feijão. E certa vez, na festa, ele ganhou um prêmio por ter o pé de feijão com a maior quantidade de grãos: 1.480. O secretário da Indústria, Comércio e Turismo de CLM, Laire Dal Prá presenciou a entrevista e confirmou a grande importância do feijão para Capitão. “Até hoje, muita gente produz feijão que dá duas safras na região”, disse Dal Prá.

A estrutura do Gente Fina se encontra próximo à Capela e Centro Comunitário da comunidade de Linha Hortelã. Essa foi outra grande cultura de Capitão, o hortelã e a Linha Hortelã era a sede da maior produção. “Hoje não sei se alguém tem hortelã por aqui”, lamenta. O Salame Gente Fina está no mesmo local desde a época em que para atravessar o rio Iguaçu, se utilizava balsas. “O movimento era muito menor”, lembra. A ponte veio em 1978. Desde então muito mudou inclusive a quantidade veículos na PRT. Fora tudo o que foi dito, o Gente FIna é aínda um lugar que vende artesanato de artesãos locais, regionais e gaúchos.

Gente da PRT 163: Messias do Guincho


Nas minhas andanças pela beira da PRT 163, conversando com as pessoas e levantado material para este blog, encontrei uma pessoa, não só uma pessoa mais um grupo de pessoas, muito interessante. Me refiro agorinha ao Messias Rodrigues, motorista de caminhão guinchoco e borracheiro, conhecido também como "Bolinha". Nascido em Lindoeste e depois de passar 18 anos em São Paulo, ele volta à região e escolhe Capitão por ter parentes na cidade. Messias é o homem do guincho e dos pneus responsável pelo Guincho Rodri-Car localizado próximo à Churrascaria Pica-Pau na PRT.

“O mundo passa por aqui”, diz Messias que quando não está indo atender algum pedido de socorro com o guincho, se senta e se dedica a olhar os carros que passam e adivinhar quem estará neles. “Todo mundo passa aqui. Você vê carrões passar e eu me pergunto quem será que vai ali?”, acrescenta. No Posto São Cristóvão também chamado de 2de julho, próximo à Borracharia e Guincho, Messias já encontrou pessoas como o Ratinho, o Zé Rico da dupla Milionários e José Rico e isso para não falar do Gaúcho da Fronteira, que já parou no Posto. Basta dizer que esse posto é um dos postos onde o Padre Adelir de Carli da Pastoral Rodoviária realizou uma missa no dia 14 de fevereiro. A Pastoral Rodoviária é da Igreja Católica dirigida aos caminhoneiros e o padre De Carli é da Paróquia de Paranaguá.

Messias não sabia o significado da sigla PRT mas desconfiava que a rodovia é especial. “A gente não sabe o que tem na mão aqui” declarou depois de lembrar algumas das coisas mais difíceis para ele. “Muita gente pára aqui e pergunta que cidade é essa” diz lembrando que Capitão Leônidas Marques já poderia ter um portal ou pelo menos uma placa dizendo a quem passa que a cidade existe e está recepcionando os visitantes.

------
Serviço do Blog:
Telefone do Guincho / Borracharia Rodri-Car (45) 9933 3633
24 Horas no ar é o que promete!

segunda-feira, 3 de março de 2008

Urgente! Precisa-se de Manutenção!




Esta é uma das dezenas, centenas de placas encontradas ao longo da PRT 163. Esta aí, de modo específico, está anunciando que Realeza está a 34 quilômetros daqui. Mas devido à saúde do capim na redondeza, a placa não consegue passar a mensagem. Para complicar, um pouco antes da placa, o asfalto sofreu este afundamento, se é que esse é o termo correto. De qualquer maneira é preciso cuidado. A estrada é estreita, tem curvas e pode ser muito perigosa. Recentemente, o Governo do Paraná, antes das eleições, a recuperou, pôs uma capa de asfalto nova e renovou a sinalização. Esta é uma estrada de muito trânsito. É a ligação umbilical entre o Rio Grande do Sul e o Oeste do Paraná, e também do resto do Brasil. Além de caminhões por aqui passam carros particulares, ambulâncias de toda a região viajando para Cascavel e muitos ônibus que ligam o Rio Grande do Sul e Santa Catarina com resto do Brasil. Afundamentos como esses são piores mais prá frente.Foto tomada na redondeza do Km 60 da estrada.

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Cuidado! Trevo movimentado



Este é um trevo muito importante e merece cuidado. Para quem vem de Cascavel, ele oferece acesso, aqui, pelo lado direito a Capitão Leônidas Marques. Pelo esquerdo o acesso é para a Usina Hidrelétrica Salto Caxias atual Usina Governador José Richa e BOa Vista da Aparecida. Por esse acesso também se vai a Nova Prata do Iguaçu. Capitão Leônidas Marques tem dois acessos. O que aparece aqui dá acesso ao que se chama localmente de Cidade Baixa. É a parte mais antiga da cidade, onde tudo começou. Há uma pequena rodoviária usada somente pelos ônibus metropolitanos da Eucatur que vem de Cascavel e por ônibus da Cattani que também vem de Cascavel.

A nova rodoviária da cidade fica na Cidade Alta cujo acesso é pelo segundo trevo. Assim, quem se dirigie à Cidade Alta passa direto por esse trevo e fica atento ou atenta para a emtrada do segundo acesso. Há uma placa 500 metros antes. A entrada pelo segundo acessoda cidade não é lá grandes coisas. Muitos moradores reclamam da entrada e da falta de charme dela. É nesta região chamada Cidade Alta para onde caminha o progresso da cidade. Além da nova Rodoviária, a área também recebeu o Fórum, os Correios e a sede da Prefeitura Municipal. Cuidado por que antes de chegar ao segundo trevo você vai encontrar afundamnentos na pista.